s

Italy Bike Tour

A medida ideal da pedivela

 

Qual é a medida ideal da pedivela?

Existem vantagens de uma pedivela maior?

Saiba como avaliar e fazer a escolha certa.

 

A revista italiana, CT Tecnica Granfondo, publicou recentemente uma matéria interessante sobre as medidas da pedivela e achei interessante compartilhar com vocês.

Responde Dott. Morelli: não existe uma formula perfeita, mas depende de tantos fatores…

Segundo a lei da física, maior é a leva, menor será a força necessária para obter o mesmo resultado.

Mas, quando traduzido ao mundo do ciclismo, existem outras variáveis importantes a serem consideradas.

 

Uma pedivela de 170 mm percorre uma distancia de 1.067,6 mm

Uma pedivela de 175 mm percorre uma distancia de 1.099 mm

Ou seja 3,14 cm de diferença em cada pedalada.

 

Tudo isso, multiplicado pelo numero de pedaladas que fazemos durante um treino ou uma prova, seria uma bela diferença se não tivéssemos que avaliar outros fatores.

 

Quais são os critérios científicos para determinar o comprimento da pedivela?

Existem algumas teorias mas a mais utilizada considera as medidas antropométricas como: comprimento do fémur, a altura do cavalo e o comprimento da perna.

A esse dados temos que fazer outras considerações como: levas articulares, a elasticidade muscular, tipo de fibra muscular, características do atleta e muito mais.

Por isso muitas vezes utilizamos simuladores e testes para analisar o consumo de oxigênio do ciclista, pico de potencia, cadencia da pedalada e o comprimento muscular. Essas diferenças muitas vezes são de difícil mensuração, desta forma, muitas vezes acabamos por utilizar o primeiro sistema.

 

Cientificamente, qual a influencia de uma pedivela maior?

Temos que considerar o custo energético.

Um pedivela maior influencia a circunferência da pedalada. Aumentando o comprimento, se aumenta o diâmetro e com isso a distancia entre o ponto morto superior e o ponto morto inferior. Consequentemente, as articulações de anca, joelho e tornozelo terão maior amplitude de movimento. Esse surplus deverá ser compensado pelos músculos que irão modificar o próprio comprimento., ou seja maior extensão do movimento, maior é o consumo de energia.

A cadência pode ser afetada, pois se modifica a velocidade periférica da pedalada. Aqui as diferenças são mínimas, mas dado que a potencia é o produto entre cadencia (velocidade) e força, se diminui uma, teremos que aumentar a outra para manter o resultado inalterado.

 

Como faço para saber se estou usando uma pedivela justa para as minhas medidas?

Do ponto de vista biomecânico não existem particulares patologias derivantes do uso incorreto da pedivela, considerando um “range normal”, que geralmente é entre 2,5 mm.

No caso de problemas ou incômodos é necessário avaliar outros fatores como ajuste dos tacos das sapatilhas ou posição do selim, seja na altura que recuo.

 

O uso de uma pedivela mais longa pode causar problemas ou tem alguma contra indicação?

Tecnicamente não, mas é sempre subjetivo pois depende de muitos fatores como por exemplo a existência de uma patologia ou uma errada biomecânica.

Uma escolha errada pode ampliar erros já existentes.

 

E quais são as vantagens?

Assim como é difícil avaliar as desvantagens e também difícil avaliar as vantagens.

Alguns estudos mostram que para um velocista, o fato de usar uma pedivela mais curta, permite aumentar o pico de potencia e diminuir o tempo necessário para atingi-lo. O resultado são poucos pontos percentuais, cerca de 4% para uma variação de comprimento de 83%, de 120 a 220 mm. Outros estudos mostram que mesmo com variações mais amplas, não obtemos resultados significativos. As vezes, mesmo realizando testes cruzados, avaliando a curva de eficiência, o pico de potencia ou utilizando medidas antropométricas, nos encontramos sempre com uma margem de 2,5-5 mm. As diferenças são sempre pouco significativas mas é fundamental escutar as sensações do atleta.

 

Com um alongamento da pedivela de 2,5mm, quais as correções temos que fazer?

Com uma modificação de 2,5mm o desiquilíbrio é mínimo, desta forma, somente por questão de perfeccionismo, teremos que abaixar e recuar o selim de 1,25mm, ou seja a metade do alongamento da pedivela, mas é realmente superficial.

 

Quais são os parâmetros para avaliar o tamanho ideal da pedivela?

A forma mais simples é partir das medidas antropométricas, o que geralmente ira dar como resultado entre 170 e 175 mm.

Esse calculo pode ser feito das seguintes formas:

– multiplicar o comprimento da tíbia (não do fêmur) por 0,41, ou

– a medida da perna, do trocânter maior ao maléolo, por 0,2

Eu, pessoalmente, acho essas formulas exageradas em relação aos cálculos que hoje utilizamos na nossa clinica. Apos o resultado analisamos a especialidade praticada, além das características fisiológicas e neuromusculares do atleta.

Se a escolha esta entre 2 medidas, aconselharia a um atleta que pratica MTB aquela maior, ao velocista ou pistard aquela inferior. No caso de passista/crono ou escalador puro, melhor a medida superior.

 

Compartilhe conosco e nos ajude a fornecer conteúdos interessantes e de qualidade.